Novo artigo da Self aborda o polêmico e atual tema do suicídio

08/20/2018

Segundo dados do Ministério da Saúde, entre 2000 e 2016, o número de casos de suicídio no Brasil apresentou um aumento gradual, passando de 6.780 para 11.736, um crescimento de 73%. A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o suicídio é a segunda causa de morte no mundo entre jovens de 15 a 29 anos. Nos meses de maio e junho deste ano, a Universidade de São Paulo (USP) registrou quatro casos de suicídio.

O tema do suicídio vem deixando de ser tabu e cada vez mais ocupa os profissionais da saúde, os pais e, porque não, os próprios jovens que veem seus amigos tomarem uma decisão tão desconcertante como esta.

Uma questão tão séria e relevante como essa não poderia ficar de fora do campo da psicologia analítica, nem do radar da Self – Revista do IJUSP, que apresenta as suas leitoras e aos seus leitores o artigo “Abordagem clínica dos temas ‘morte’ e ‘suicídio’ na perspectiva da psicologia arquetípica”, de Helton Marculino de Souza e Lunalva Fiuza Chagas.

A partir de uma pesquisa teórica, que teve como fonte as obras de James Hillman, os autores buscaram “uma primeira sistematização sobre intervenções clínicas para abordagem de aspectos concernentes à morte e ao suicídio a partir de uma visão da psicologia arquetípica”. Como principal resultado desta pesquisa, os autores concluíram que “é de grande importância que o psicólogo entre em contato com temas relacionados à morte e ao suicídio, para que seja capaz de oferecer um acolhimento que não se limita a patologizar” e que “esteja disposto a se relacionar com o fenômeno que se apresenta, ao invés de interpretá-lo; conhecer as próprias fantasias e afetos ligados ao tema”.

O artigo “Abordagem clínica dos temas ‘morte’ e ‘suicídio’ na perspectiva da psicologia arquetípica” está disponível, com acesso livre, no site da Self – Revista do IJUSP: <https://self.ijusp.org.br/self/article/view/26>