Self comemora três anos de vida com aula sobre a religião no Egito

06/23/2019

Dia 25 de março foi um dia especial para a Self. Nem o frio que fazia pela manhã atrapalhou a bela comemoração de três anos da revista. 

Os editores científicos da publicação, Candido Pinto Vallada e Paula Daré, abriram a festa, destacando o sucesso editorial da revista. Segundo Paula, a Self vem surpreendendo a todos "com seu número de acessos acima da média para publicações de psicologia analítica e psicologia geral, o que nos deixa muito contentes, pois estamos cumprindo nossa meta de divulgar a psicologia analítica dentro dos padrões científicos".  

Em seguida, a pesquisadora Cintia Gama-Rolland, doutora pela École Pratique de Hautes Études (Paris, França) e professora da Faculdades Metropolitanas Unidas, deu uma aula sobre mitologia egípcia e compartilhou com os presentes seu rico e vasto conhecimento sobre a religião no Egito antigo. Carismática, a pesquisadora conseguiu ensinar e, ao mesmo tempo, divertir.  

Como diz a poesia "Guardar", que a editora Paula Daré leu em sua apresentação, a egiptóloga "guardou" o que aprendeu com quem esteve presente à festa.  

Guardar (Antônio Cícero) 

Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la. Em cofre não 
se guarda coisa alguma. Em cofre perde-se a coisa à vista. 
Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la por admirá-la, isto 
é, iluminá-la ou ser por ela iluminado. 
Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por ela, isto é, 
velar por ela, isto é, estar acordado por ela, isto é, estar por ela 
ou ser por ela. 
Por isso melhor se guarda o vôo de um pássaro 
Do que pássaros sem vôos. 
Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica, por isso se 
declara e declama um poema: 
Para guardá-lo: 
Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda: 
Guarde o que quer que guarda um poema: 
 Por isso o lance do poema: 
 Por guardar-se o que se quer guardar.