O matrimônio sagrado yin-yang:

anima e animus no processo de individuação

Autores

  • Grazieli Aparecida Gonçalves Castro/PR
  • Adriana Goreti de Oliveira Lopes Cascavel/PR

DOI:

https://doi.org/10.21901/2448-3060/self-2018.vol03.0003

Resumo

Pretende-se por meio deste artigo demonstrar a importância da integração dos opostos proposta pela filosofia chinesa e o processo de individuação presente na psicologia analítica, tendo em vista que esta ideia tem influência direta na concepção dos arquétipos de anima e animusdescrita por Carl G. Jung. Utilizando um estudo bibliográfico com ênfase na metodologia qualitativa, buscou-se analisar as consequências, para as mulheres, da dissociação do princípio feminino (yin) e o princípio masculino (yang), partindo do pressuposto que o processo de individuação representa o tornar si mesmo. A essência humana contém em si ambas polaridades, de modo a existir uma complementação dos princípios que deve ser trabalhada internamente para que ocorra o matrimônio sagrado. Quando não há integração dos opostos, a individuação não ocorre, podendo resultar em uma anima negativa (que tenderá a reprimir as suas ações, sentimentos e a sexualidade); assim como ao rejeitar a sabedoria da sua intuição, bem como um animus negativo tornará a mulher uma moralizadora, cheia de dogmas e inflexível às opiniões alheias, com tendências agressivas e prisioneira das suas próprias crenças e julgamentos. Portanto, revela-se fundamental para a saúde mental e qualidade das relações interpessoais das mulheres a necessidade de resgate do sagrado arquétipo feminino e o acolhimento e integração das virtudes masculinas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Grazieli Aparecida Gonçalves, Castro/PR

Pós-graduada em Psicologia analítica (clínica junguiana) pela Universidade Paranaense (Unipar); graduada em Psicologia pela Faculdade Sant'Ana; cursando a formação em Arteterapia pelo Incorporar-te - Espaço Terapêutico Corpo e Artes. Psicóloga clínica de crianças, adolescentes e adultos com ênfase na abordagem da psicologia analítica. 

Adriana Goreti de Oliveira Lopes, Cascavel/PR

Analista junguiana, membro do Instituto Junguiano do Paraná (IJPR), membro da Associação Junguiana do Brasil (AJB) e International Association for Analytical Psychology (IAAP). Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro; graduada em psicóloga clínica pela Universidade Paranaense; graduada em Ciências pela Universidade Paranaense. Docente em cursos de Pós-Graduação nas áreas de psicologia e áreas afins.

Downloads

Publicado

05/30/2018

Como Citar

Gonçalves, G. A., & Lopes, A. G. de O. (2018). O matrimônio sagrado yin-yang:: anima e animus no processo de individuação. Self - Revista Do Instituto Junguiano De São Paulo, 3. https://doi.org/10.21901/2448-3060/self-2018.vol03.0003

Edição

Seção

Artigo de revisão de literatura