Panorama da religião funerária no antigo Egito

o duplo post mortem dos egípcios antigos

Autores

  • Cintia Alfieri Gama-Rolland Fmu EPHE museu nacional

DOI:

https://doi.org/10.21901/2448-3060/self-2021.vol06.0003

Palavras-chave:

História, Civilização, Práticas Religiosas, Ritos de Morte

Resumo

Dentre as civilizações da antiguidade, a egípcia é uma das que mais oferece testemunhos e chama a atenção por seus vestígios arqueológicos e textuais de caráter funerário. A religião funerária desse povo, considerando-se apenas as fontes materiais, pode ser observada tanto por construções monumentais em rocha, como por meio de tumbas escavadas, complexos funerários ou mesmo por objetos das mais diversas formas e finalidades, como sarcófagos, caixões, vasos canopos ou estatuetas funerárias. Além dos documentos já mencionados, tem-se um grande número de fontes escritas referentes ao contexto funerário egípcio que dizem respeito tanto a cosmogonias quanto à confecção de amuletos, encantamentos e guias para a vida após a morte. Tendo em vista a amplitude da religião egípcia como um todo, este artigo apresenta uma breve visão acerca da religião funerária egípcia antiga a partir das fontes textuais. Logicamente, não se objetivou fazer aqui uma extensa análise de todo esse universo religioso que, por si só, exigiria um volume próprio. Com isso, foram abordados os três principais corpora de textos funerários e, em seguida, analisou-se os destinos post mortem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Assmann, J. (2000). Images et rites de la mort dans l'égipte ancienne: l'apport des liturgies funéraires. Paris: Ed. Cybèle.

Barguet, P. (1967). Le livre des morts des anciens egyptiens. Paris: Les Editions du Cerf.

Breasted, J. H. (1970). Development of religion and tought in Ancient Egypt. Philadelphia: University of Pennsylvania Press. (Trabalho original publicado em 1912).

Budge, E. A. (1999). O livro egípcio dos mortos. São Paulo: Ed. Pensamento.

Carrier, C. (2004). Textes des sarcophages du Moyen Empire égyptien (Vol. 2, spells 355 a 787. Paris: Editions du Rocher.

Davies, W. (1977). The ascension-myth in the Pyramid texts. Journal of Near Easter Studies, 36(3),161-179. Recuperado em 25 de janeiro de 2021, de http://www.jstor.org/stable/545152.

Dunand, F., & Zivie-Coche, C. (2006). Hommes et dieux en Égypte. Paris : Ed. Cybèle.

Erman, A. (1937). La réligion des égyptiens. Paris: Payot.

Griffiths, J. G. (1966). The origins of Osíris (Munchner ägyptologische studien 9). Berlin: Verlag Bruno Hesslig.

Hornung, E. (2007). Les textes de l'au-delà dans l'egypte ancienne. Monaco: Editions du Rocher.

Jacq, C. (1986). Le voyage dans l'autre monde selon l'Égypte ancienne. Monaco: Editions du Rocher.

Morenz, S. (1962). La réligion égyptienne. Paris: Payot.

Quirke, S. (1992). Ancient egyptian religion. London: British Museum Press.

Schneider, H. (1977). Shabtis: an introduction to the history of ancient egyptian funerary statuettes with a catalogue of the collection of shabtis in the National Museum of Antiquities at Leiden. Leiden: Rijksmuseum van Oudheden.

Spencer, J. (1991). Death in ancient Egypt. London: Penguim Books.

Speelers, L. (1923). Les figurines funéraires égyptiennes. Bruxelles : Les Editions Robert Sand.

Taylor, J. (2001). Death & the afterlife in ancient Egypt. London: British Museum Press.

Wiedemann, A. (1901). The realms of the egyptian dead: according to the belief of the ancient Egyptian. London: David Nut.

Willems, H. (2008). Les textes des sarcophages et la démocratie: élements d'une histoire culturelle du Moyen Empire. Paris: Ed. Cybèle.

Zabkar, L. (1968). A study of the Ba concept in ancient Egyptian texts (Studies in ancient oriental civilization n. 34). Chicago: University of Chicago Press.

Downloads

Publicado

04/08/2021

Como Citar

Alfieri Gama-Rolland, C. (2021). Panorama da religião funerária no antigo Egito: o duplo post mortem dos egípcios antigos. Self - Revista Do Instituto Junguiano De São Paulo, 6(1), 1–15. https://doi.org/10.21901/2448-3060/self-2021.vol06.0003

Edição

Seção

Artigo de pesquisa original