Cartas entre Jung e White

um debate interdisciplinar sobre o Increatus

Autores

  • André Pansarini de Paula Rodrigues
  • Paola Vieitas Vergueiro

DOI:

https://doi.org/10.21901/2448-3060/self-2021.vol06.0006

Palavras-chave:

psicologia junguiana, inconsciente coletivo, arquétipos, símbolos, conceitos de deus

Resumo

Este artigo teve como objetivo analisar a obra “The Jung-White Letters”, destacando a importância do que se considera serem os temas centrais da obra: o arquétipo do Self, sua expressão na psique, sua natureza, dinâmica e propósito, e a imagem de Deus para a psicologia analítica. A metodologia aplicada à pesquisa foi a da análise de conteúdo. Em um debate interdisciplinar, Jung e White trataram de temas como interdisciplinaridade, ciência, teologia; a imagem de Deus para a psicologia analítica; o estudo do cristianismo como expressão do espírito de um tempo ou Zeitgeist; o bem e o mal; os símbolos. Na discussão da obra, destacou-se a existência de indicadores simbólicos de evolução da consciência, individual e coletiva, nas diversas representações de Deus, nas passagens do Velho e do Novo Testamento e na separação dos opostos no cristianismo. Por fim, reafirmou-se a relevância da leitura psicológica que se debruça sobre aspectos históricos e psicológicos da religião e a sua atualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Pansarini de Paula Rodrigues

André é Psicólogo (CUSC-SP) e atua como psicoterapeuta em consultório particular. Atualmente desenvolve, paralelamente, projeto social de atendimento psicológico para pessoas impactadas pelos efeitos da COVID-19 (2020).

Paola Vieitas Vergueiro

Paola é psicóloga (PUC-SP), especialista na abordagem junguiana (COGEAE), arteterapeuta (AATESP), mestre em Distúrbios do Desenvolvimento (Mackenzie) e doutora em Psicologia Clínica (Núcleo de Estudos Junguianos da PUC-SP). Analista junguiana formada pelo IJUSP/AJB/IAAP, atua também como docente em pós-graduações, é orientadora e supervisora. Desenvolve pesquisas e publica trabalhos que se dedicam à interface entre psicologia analítica, ciência e cultura.

Referências

Bair, D. (2006). Jung: uma biografia (Vol. 2). São Paulo: Globo.

Bardin, L. (2004). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70. (Trabalho original publicado em 1977).

Campos, C. J. G. (2004). Método de análise de conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, 57(5), 611-614.

Hopcke, R. H. (2011). Guia para a obra completa de C. G. Jung. Petrópolis, RJ: Vozes. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672004000500019.

Jung, C. G. (2012). Definições. Tipos psicológicos (5a ed., OC, Vol. VI, Cap. XI, pp. 384-45). Petrópolis, RJ: Vozes. (Trabalho original publicado em 1921).

Jung, C. G. (2012) Mandalas. In Os arquétipos e o inconsciente coletivo (8a ed., OC, Vol. IX/1, pp. 393-396). Petrópolis, RJ: Vozes. (Trabalho original publicado em 1955).

Jung, C. G. (2012a). Símbolos oníricos do processo de individuação. Psicologia e alquimia (6a ed., OC, Vol. XII, Cap. II, pp. 49-236). Petrópolis, RJ: Vozes. (Original publicado em 1944).

Jung, C. G. (2012b). Introdução à problemática da psicologia religiosa da alquimia. Psicologia e alquimia (6a ed., OC, Vol. XII, Cap. I, pp. 15-48). Petrópolis, RJ: Vozes. (Original publicado em 1944).

Jung, C. G. (2012c). Cristo, símbolo do si-mesmo. Aion, estudo sobre o simbolismo do si-mesmo (9a ed., OC, Vol. IX/2, Cap. V, pp. 51-89). Petrópolis, RJ: Vozes. (Trabalho original publicado em 1951).

Jung, C. G. (2012d). Estrutura e dinâmica do si-mesmo. Aion, estudo sobre o simbolismo do si-mesmo (9a ed., OC, Vol. IX/2, Cap. XIV, pp. 264-311). Petrópolis, RJ: Vozes. (Trabalho original publicado em 1951).

Jung, C. G. (2012e). Sobre a significação histórica do peixe. Aion, estudo sobre o simbolismo do si-mesmo (9a ed., OC, Vol. IX/2, Cap. VIII, pp. 125-140). Petrópolis, RJ: Vozes. (Trabalho original publicado em 1951).

Lammers, A. C., & Cunningham, A. (Eds.). (2007). The Jung-White letters. London: Routledge.

Moraes, R. (1999). Análise de conteúdo. Revista Educação, 22(37), 7-32.

Samuels, A., Shorter, B. & Plaut, F. (1988). Self. In Dicionário crítico de análise junguiana (p. 123). Rio de Janeiro: Imago.

Stein, M. (2006). Jung: o mapa da alma. São Paulo: Cultrix. (Trabalho original publicado em 1998).

Downloads

Publicado

2021-07-08

Como Citar

Pansarini de Paula Rodrigues, A., & Vieitas Vergueiro, P. (2021). Cartas entre Jung e White: um debate interdisciplinar sobre o Increatus. Self - Revista Do Instituto Junguiano De São Paulo, 6(1), 1–17. https://doi.org/10.21901/2448-3060/self-2021.vol06.0006

Edição

Seção

Artigo de pesquisa original